Traduza este blog

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22:6


As crianças não conhecem naturalmente a diferença entre certo e errado, por isso Deus nos deu a incumbência de ensinar nossos filhos. E Deus deixa claro que elas devem ser ensinadas no caminho em que devem andar. Isso significa que há um caminho certo. Esse mundo oferece muitas incertezas e são muitos os que insistem em dizer que não há um caminho certo para viver e que somos livres para optar entre as diversas propostas que o mundo nos oferece. Todavia, a Bíblia nos ensina que há um único caminho certo, e que é nele que devemos guiar nossos filhos: Jesus Cristo (João 14:6). Há uma significativa diferença entre ensinar no caminho e em vez ensinar o caminho. Ensinar no caminho significa ensinar com exemplo, mostrando em atitudes e não com palavras. Enquanto ensinar o caminho pode significar tão somente apontar a direção, sem necessariamente viver exemplarmente nesse caminho. Salomão nos mostra a importância dessa atitude que os pais devem tomar em relação à formação de seus filhos, lembrando-nos que quando a criança aprende vivenciando o caminho certo, mesmo quando envelhecer não se desviará dele. Aquilo que ensinamos ao nosso filho nos primeiros 20 anos determinará a direção que ele seguirá por toda a vida. Mais importante ainda, seu ensinamento provavelmente o guiará a fazer a escolha de onde ele estará na eternidade. Essa é uma grande responsabilidade que assumimos quando decidimos nos tornar pais, pois temos a responsabilidade de prover as necessidades materiais e espirituais da família.


"Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente" (1 Timóteo 5:8). 

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do Senhor vem a vitória. Provérbios 21:31


É natural que o ser humano se preocupe com sua segurança e que se tome precauções para se proteger, mas nenhuma medida será eficaz se não tivermos a mão de Deus a nosso cuidado. O sábio expressou isso com clareza, mostrando que devemos nos preparar para a luta, mas colocando Deus sempre à frente. As palavras de Salomão nos revelam que o Senhor quer que saibamos que, independente dos nossos esforços mesmo nos protegendo, somos totalmente dependente Dele para a nossa segurança. Confiar no SENHOR é mais importante do que qualquer outra coisa, apesar de Ele contar conosco para tomar as devidas precauções nesse sentido. Quando colocamos a nossa confiança em qualquer outro meio perdemos a bênção do Senhor sobre os nossos esforços, por isso a Bíblia nos ensina a colocar nossa confiança no Senhor e a minimizar a confiança nos meios naturais tanto quanto pudermos. Isso significa que devemos trabalhar e nos preparar para a batalha do dia, mas sem jamais nos esquecermos de que cada vitória vem do Senhor.


Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Coríntios 15:57

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O que adquire entendimento ama a sua alma; o que cultiva a inteligência achará o bem. Provérbios 19:8


É interessante observar como as pessoas são rápidas para atribuir aos outros a responsabilidade pelos problemas que enfrentam. É bem mais fácil jogar a culpa em outros, em vez de assumir os próprios erros e aprender com eles. Quando achamos que o problema não é nosso jogamos a responsabilidade adiante e nos eximimos de aprender com o erro. O problema do país é uma questão que começa no indivíduo. As dificuldades da Igreja são de seus membros em particular antes de ser de toda a congregação. Mas a síndrome da Adão tem prevalecido e por isso se o mundo está um caos, a culpa é do governo X, se um jovem não conseguiu estudar e se formar a culpa é do professor que não o estimulou, ou do pai que saiu de casa e não lhe deu condições de ir para a escola. Se o funcionário não é valorizado no trabalho a culpa é do seu chefe... Mas dificilmente alguém abre mão de se vitimizar e admite que é parte do problema, porque falta conhecimento, falta autocrítica e humildade. O sábio nos ensina que cultivar a inteligência é o caminho para o bem. E isso significa sair da crise ética, que nos leva a achar estranho que alguém faça o que é correto e ou justificar o erro de uns com a desculpa de outros também erraram. Ter conhecimento nos leva a reproduzir mentiras e impede que sejamos fantoches nas mãos de pessoas desonestas. Ninguém manipula uma pessoa com conhecimento. Por Jesus afirmou em João 8:32


E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

domingo, 25 de setembro de 2016

O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão. Provérbios 18:24


Em tempos de redes sociais em alta e do avanço de tecnologias que permitem o estreitamento das amizades, ao contrário do esperado, as pessoas ainda carecem de amigos verdadeiros para conversar, compartilhar emoções, trocar ideias, desabafar, ou para terem um conforto nas horas difíceis ou com quem dividir uma alegria. Mas se está mais fácil encontrar as pessoas, estabelecer uma amizade genuína está muito mais  difícil num mundo cada vez mais competitivo, onde as distancias físicas são menores, mas a distância emocional está cada vez maior. Salomão sabia que ser amigo do rei, era o desejo de muitos e mesmo cercado de muitos amigos ele tinha a compreensão de que raros eram os amigos sinceros. Amigos verdadeiros não se afastam diante dos problemas e mesmo quando estão distantes sabemos que podemos contar com eles. Nos tempos em que o interesse prevalece sobre as verdadeiras amizades, a solidão aflige grande parte das pessoas, as amizades virtuais, os namoros de ocasião e os casamentos descartáveis não preenchem o vazio. Mas Salomão nos lembra de que existe amigo mais chegado do que irmão. Este amigo é Jesus. Ele nos deu uma prova de amor que nem mesmo um irmão faria: entregou a Sua própria vida para que pudéssemos ser felizes.


Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 1 João 3:16

sábado, 24 de setembro de 2016

O crisol é para a prata, e o forno para o ouro; mas o Senhor é quem prova os corações. Provérbios 17:3


 Salomão nos mostra que os metais mais preciosos são purificados no crisol (a prata) e no forno (o ouro). Esse processo de eliminação da sujeira que permeia os mais nobres metais é necessário para que e adquiram um refinamento que os tornem mais valiosos. Para diferenciar e separar a sujeira da limpeza, o material impuro do puro, o verdadeiro daquilo que deve ser jogado fora por ser falso. Assim, o sábio nos apresenta uma analogia entre a purificação do da prata e do ouro e a nossa vida, para demonstrar que o nosso caráter precisa ser refinado, pois tal como esses metais a retirada da escória revela um caráter puro e verdadeiro. Não só na nossa vida social e familiar, mas também no âmbito espiritual, precisamos de um refinamento que forje em nós um caráter íntegro e que se aproxime do caráter de Cristo. Prata e ouro são preparados para o uso pela purificação em alta temperatura. O calor destrói as impurezas e metais básicos para revelar somente os metais puros, adequados para o uso na produção de lindas joias ou objetos decorativos. À semelhança do artífice, o Senhor prova e purifica os corações por meio do fogo das aflições e provações. A Bíblia fala com frequência a respeito de Deus purificar os Seus santos e nos mostra que Jesus veio como o Refinador. As provações de fogo que Ele envia podem nos parecer intransponíveis, mas elas fortalecem a nossa fé, pois o Senhor conduz o Seu povo pelo fogo para aperfeiçoá-lo e retiradas as impurezas Ele escolhe as Suas joias.


Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo; 1 Pedro 1:7

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos. Provérbios 16:3


O que mais temos visto atualmente são criaturas brincando de ser criador, chamando a si o papel de Deus, querendo definir o que é certo ou errado em suas vidas. Mas não é surpresa quando temos conhecimento de histórias de vidas destruídas como resultado da teimosia e espírito de independência humana. Por isso, entendemos que o conselho de Salomão é mais atual do que nunca. Não podemos nos arrogar a posição de donos de nossas vidas, deixando de lado a orientação do Senhor, mas também não podemos nos esquecer de que o fato de confiar em Deus não dispensa a nossa iniciativa nem o nosso esforço. Confiar significa fiar junto, e fiar pressupõe desenrolar os fios para se chegar a um objetivo. Quando confiamos em Deus, abrimos diante Dele o novelo de nossos planos, consultando-O, sempre que tivermos que fazer algo quer na vida pessoal ou profissional. Pessoas que consultam a Deus podem testemunhar que seus planos sempre avançam. Quando confiamos em Deus nossos pensamentos são estabelecidos e nossos planos se concretizam. Paulo nos garante em Romanos 10:11 que em Deus podemos realizar nossos sonhos,


Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. 

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio. Provérbios 15:17


O sábio nos ensina que de nada adianta viver em fartura se o ódio contamina os corações e mina a seiva da vida. É preferível ter o mínimo para a sobrevivência, onde há amor do que viver em abastança com o coração contaminado. Vemos que muitas famílias têm se destruído pela ganância e pelo desprezo aos princípios do Senhor. Assim, contaminados pelos ditames de uma sociedade que prega o ter em lugar do ser, a divisão de classes tem reforçado a busca pelo que é passageiro e disseminado o ódio em vez da convivência harmoniosa. Muitos têm se corrompido para viverem de acordo com os princípios do mundo e com isso vivem atribulados por sentimentos que ignoram o segundo mandamento. A Bíblia nos ensina a viver na simplicidade, priorizando o essencial, e a dedicarmos amor aos nosso próximo, por isso Jesus nos diz em João 3:17


“Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?” 

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos. Provérbios 14:15


O sentido dado por Salomão à palavra “simples”, no texto em epígrafe, vem do hebraico e quer dizer inexperiente. Entendendo essa definição, teremos a compreensão de a simplicidade é uma etapa de crescimento, passamos por ela. Não é errado ser simples, porque se está num período de amadurecimento, o que não podemos é permanecer nesse estado. Aquele que não busca o crescimento e age de forma infantil dando crédito à fofocas do dia a dia, às teorias e doutrinas sem questioná-las ou avalia-las acabam destruindo amizades, lares, comunidades ou toda uma sociedade. Quem age por impulso, de forma intempestiva certamente se arrependerá, por isso Salomão nos convida a refletir sobre como temos agido em relação ao que ouvimos e quais têm sido nossas reações a fofocas e informações que nos bombardeiam diariamente. Em tempos de eficiência na difusão devido ao alcance das redes sociais aquele que reproduz impensadamente um comentário ou uma notícia sem conferir sua fonte age com leviandade, pois pode estar contribuindo para disseminar uma mentira ou condenar um inocente. A Bíblia nos mostra que devemos sair do estado de simplicidade. E para isso é necessário tomar a decisão de mudar e, em seguida, buscar a fonte da sabedoria que é Deus. Não podemos também nos esquecer de controlar nossa língua e nossos impulsos de falar aquilo que não temos como comprovar, pois conforme nos ensina Tiago 3:6

A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

O filho sábio atende à instrução do pai; mas o escarnecedor não ouve a repreensão. Provérbios 13:1


O livro de Provérbios nos fala reiteradas vezes sobre a importância da correção e disciplina e de como os pais devem corrigir os seus filhos, orientá-los e guiá-los nos princípios do Senhor. Na contramão da Palavra de Deus, a sociedade e as instituições têm disseminado a ideia de que os pais não podem corrigir crianças e jovens da forma como foram corrigidos. A inversão de valores, consequência da falta de disciplina no momento certo é flagrante nos lares e nas escolas, onde os pais e professores são calados pelos filhos e estudantes. As crianças que não recebem disciplinas, tendem a crescer rebeldes, sem respeito às autoridades e hierarquias e, consequentemente, não estarão dispostas a obedecer e seguir a Deus. Vemos hoje gerações cheias de palavras de ordem, empunhando bandeiras e levantando a voz e até armas em defesa de valores nem sempre refletidos à luz da Bíblia. Contudo, de forma paradoxal, esses mesmos jovens que têm na ponta da língua a rebeldia expressa contra as instituições, a começar pela família, revelam uma total falta de controle de suas próprias vidas. A Bíblia ensina que os pais devem ensinar os filhos desde cedo a organizar sua vida, a organizar seu quarto, seu armário, suas gavetas e guarda-roupas, para que também saibam organizar sua casa, seu tempo de estudo, lazer, e, sobretudo, o tempo para ler conhecer a Palavra de Deus. O filho que atenta para a orientação de Salomão, aceita a repreensão e demonstra sabedoria. E o filho sábio obedece aos pais e respeita as autoridades constituídas.

Filhos, obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor. Colossenses 3:20

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O ímpio faz obra falsa, mas para o que semeia justiça haverá galardão fiel. Provérbios 11:18


A Bíblia é repetitiva quando se trata de afirmar que, apesar de vermos o momentâneo triunfo dos ímpios e da falsidade, o justo terá a recompensa por ter escolhido a verdade. Falsidade, sob todas as formas é pecado e por isso é uma atitude reprovável aos olhos de Deus. Desde sempre, o Senhor se define como Deus da Verdade e porque nos criou à Sua imagem e semelhança exige que vivamos de maneira íntegra e sincera para com todos. Em todo o tempo, os escritores da Bíblia nos exortam a retirarmos qualquer vestígio de falsidade das nossas vidas. A falsidade com suas nuances está sempre atrelada à mentira e por isso está intrinsecamente relacionada ao diabo, definido pela Bíblia como o pai da mentira. E as Escrituras narram já no livro de Gênesis o primeiro ato de falsidade, pelo qual toda a humanidade é corrompida, quando satanás mente a Eva, e distorce a Palavra de Deus. Se refletirmos sobre as consequências de uma pequena mentira, ou sobre o que representa o ato de uma falsidade veremos que ela é o degrau que dá impulso para uma grande torre. Precisamos ter claro que Deus abomina a falsidade em todos os seus níveis e assim para nos afastarmos dos caminhos da falsidade não podemos nos associar ao homem falso, e detestar todo caminho ou vestígio de falsidade, pois a falsidade destrói a própria pessoa, além de corromper o nosso relacionamento com Deus e com os outros. Assim, tendo cuidado com  nossas palavras e atitudes, devemos atender ao que nos exorta o apóstolo Paulo em Efésios 4:25:


Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. 

domingo, 18 de setembro de 2016

Quem anda em sinceridade, anda seguro; mas o que perverte os seus caminhos ficará conhecido. Provérbios 10:9


Salomão nos mostra pela sua própria vida que a sinceridade é a base da integridade e essas virtudes são a base de uma vida plena e de sucesso. Enquanto ele se orientou pela sabedoria que Deus lhe deu e obedeceu integralmente aos preceitos os quais reconhecia e defendia, sua vida espiritual e a qualidade do seu governo foram muito superiores. Contudo, quando deixou de lado esses valores e adotou princípios e costumes das mulheres com as quais se casou e quando passou a depender dessas associações sua integridade foi desconstituída e, consequentemente o seu processo de decadência se acelerou. Para nos mantermos íntegros temos que ter uma postura firme e que não aceita negociar as dimensões essenciais de caráter e os princípios que nos norteiam. É a integridade que nos dá segurança que impede o ataque de forças externas que provocam as rachaduras em nossas estruturas. Jesus nos exorta a sermos íntegros e nos ensina que servir a dois senhores é o caminho para a perda da identidade e da integridade. Não há como ser inteiro servindo ao mundo e a Deus. Não há como ser sincero com meias verdades. Não há como ter uma identidade pura misturando atitudes ambíguas e sentimentos. Por isso o Mestre nos deu claros testemunhos que nos inspiram a não misturar amor e ódio, certo e errado, sagrado e profano. Não podemos ouvir ao Espírito de Cristo aos domingos e passar o resto da semana mergulhados nas coisas do mundo.


Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. Mateus 6:24

sábado, 17 de setembro de 2016

Não repreendas o escarnecedor, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará. Provérbios 9:8


Salomão nos ensina a não repreender o ímpio, porque, certamente, se o fizermos, seremos afrontados. A recomendação é para repreendermos aquele que está circunstancialmente andando por caminhos alheios à Palavra. O sábio, ao contrário do tolo, compreenderá que aqueles que o amam, desde que movidos pelo temor do Senhor, procuram o melhor para ele. Isso não significa entrar na vida do irmão e julgar suas atitudes, mas de ampará-lo quando está débil na fé ou carece de orientação para que não se desvie da Palavra. A Bíblia não diz para julgarmos, mas que devemos amparar aquele está em perdendo o foco em Cristo, pois Deus não nos enviou como juízes, mas como profetas. Mas às vezes acabamos cometendo este grave erro de repreender o escarnecedor pensando estar ajudando-o, na tentativa de mostrar-lhe o caminho certo. O sábio nos ensina que se assim o fizermos ele se voltará contra nós e nosso objetivo não será satisfeito. Recebemos afronta, mas se fizermos como manda a Palavra de Deus e repreendermos o sábio ele compreenderá. Para fazermos essa escolha de quem, quando e como repreender precisamos de discernimento e sabedoria. Quando repreendemos a pessoa vaidosa, direcionamos contra nós mesmos os malefícios da imaturidade espiritual. Mas devemos assumir uma postura humilde, realista de reconhecer os nossos próprios erros para direcionar, depois de nossa própria correção e aperfeiçoamento, o diálogo para correção dos sábios, com uma motivação correta, de acordo com o que nos ensina o apóstolo

Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. 2 Timóteo 4:2

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada. Provérbios 8:34


O sábio nos mostra que ouvir a Deus é o segredo para ser tão afortunado. Esse segredo não foi guardado a sete chaves, mas foi passado a todos os que dão ouvidos à palavra do Senhor. Embora a Palavra seja dirigida a todos, nem todos estão dispostos a ouvir. Como Jesus ensinou na parábola do semeador, alguns não dão ouvidos porque são como um caminho endurecido e não são receptivo à semente. Outros, embora ouçam a Palavra não permitem que finque raiz, enquanto alguns deixam que ruídos diversos como ervas daninhas ou espinhos sufoquem a Palavra. Mas aqueles que têm ouvidos para ouvir são bem-aventurados. A Bíblia é enfática quando se trata de nos exortar a dar ouvidos à Palavra de Deus. Jesus reiterou por diversas vezes essa orientação e deixou claro que não basta ter ouvidos; é preciso usá-los. E aqueles que ouvem e praticam a Palavra podem descansar no Senhor, assegura Jesus em Mateus 13:43


 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio. Provérbios 6:6


O livro de Provérbios traz uma série de ensinamentos que são atemporais. Salomão usa analogias para nos mostrar valores que devemos perseguir. Uma das coisas que aprendemos com esse sábio é a lição das formigas. Elas nos ensinam a sermos trabalhadores, pois o trabalho é uma bênção e enobrece. Vemos em Gênesis que Deus deu atividades ao homem desde o início. Com o trabalho conquistamos o nosso sustento, e a nossa vida é colocada em ordem. Salomão nos exorta a aprender com as formigas também a perseverar. Se observarmos o trabalho incessante desses pequenos insetos vemos que elas não desistem daquilo que iniciam: trabalham com constância e não desanimam até atingir o seu objetivo. As formigas não olham para o tamanho do desafio, mas seguem firmes para vencerem os obstáculos que muitas vezes são maiores do que elas. As formigas também nos ensinam a trabalhar em equipe e a sermos organizados. Mesmo sendo um povo sem força, elas se organizam de tal forma a conquistar seus objetivos justamente pela sua forma de trabalhar em conjunto, ainda que individualmente sejam fracas. As formigas nos ensinam a ser disciplinados mesmo não tendo chefes. Elas não trabalham com organização e determinação porque tem um chefe a lhes cobrar eficiência, mas são responsáveis e autodisciplinadas. Assim, cumprem suas metas a cada dia sem excessos ou faltas. Elas nos ensinam também a sermos prevenidos. Preparam a sua comida no verão e reservam para poderem enfrentar os dias difíceis. Com elas devemos aprender a trabalhar e a poupar de forma equilibrada, sem exageros ou faltas. As formigas nos ensinam também que o trabalho deve ter uma motivação correta, pois não devemos trabalhar somente para acumular bens e riquezas, por isso o apóstolo nos exorta


 “... trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado” (Efésios 4:28).

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha? Provérbios 5:20


A mensagem de Salomão nos fala sobre a fidelidade conjugal, essencial para a felicidade da família. Não só os cônjuges são afetados, mas toda a família e principalmente os filhos. Por essa razão o sábio nos aconselha a ficarmos longe do foco das tentações para protegermos a nossa família. Em tempos nos quais a família tem sido o grande alvo do inimigo, quando a sensualidade e a liberdade sexual predominam sobre os valores morais, a mensagem de Salomão é mais do que oportuna. Precisamos ficar atentos aos sinais que a Palavra de Deus nos revela. Vemos que que a mulher sedutora é idolatrada na mídia, nas novelas, nos filmes, em vídeos, nos livros, nas revistas e nos comerciais para vender qualquer produto. E atualmente os homens também têm sido o foco da exploração da sensualidade e a manipulação dos atributos alcançam as crianças de forma cada vez mais precoce. Isso fica evidente na forma de se vestir de crianças e adolescentes. Vemos claramente o reflexo da sensualização nas roupas infantis. O que parece ser uma simples atualização ou identificação com o tempo presente é algo muito mais grave. Sem perceber estamos dando lugar a mudança de valores que ignoram os preceitos de Deus. A mulher estranha sobre a qual nos fala Salomão está entrando sutilmente na vida das famílias e destruindo não só casamentos, mas toda a estrutura familiar que é a base da sociedade. Precisamos ficar atentos e fazer o que nos ensina o sábio sobre o perigo apresentado por uma mulher sedutora e nos lembrar do que diz o autor de Hebreus 13:4


Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus. Provérbios 4:14


Em tempo nos quais multiplicam-se a corrupção e a mentira, muitos têm se perdido na tentação de se conformar com esse mundo. Conformar no sentido não só de aceitar passivamente sem se indignar com a corrupção à sua volta, mas também no sentido de tomar a forma do mundo. Aqueles que não se corrompem ativamente, mas permitem ou fazem vista grossa à corrupção também estão entrando pela vereda dos ímpios. Salomão nos exorta a deixar que os pecadores nos influenciem, por isso já no início do livro de Provérbios 1:10 aconselha: “Filho meu, se os pecadores te quiserem seduzir, não consintas.” O homem que pauta sua vida e suas atitudes, mesmo as mais cotidianas, nos princípios de Deus não se deixa influenciar pela prosperidade do ímpio e não se conforma com o pecado, mas caminha retamente.  A mensagem clara do sábio é para, em nenhuma hipótese, cedermos à tentação. E se porventura ela se acercar de nós, devemos nos lembrar do que diz o apóstolo Paulo em 1 Coríntios 10:13


“Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar.”

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. Provérbios 3:3


Salomão nos diz que devemos estar amparados pela benignidade e fidelidade para que alcancemos graça e entendimento aos olhos de Deus e dos homens. Viver amparado é um conforto muito grande e que buscamos desde antes de nascer. Amparados pelo ventre materno somos protegidos enquanto nos formamos. Depois, enquanto nos desenvolvemos, contamos com o amparo dos pais para nos proteger dos perigos, enquanto não temos maturidade suficiente para seguir por nossos passos. Eles estão sempre por perto como um esteio, amparando-nos até que aprendemos a caminhar seguros. Mas Salomão fala de um amparo muito mais amplo que nos acompanha por toda a vida. Por isso nos aconselha a sermos amparados por dois valores espirituais: a benignidade e a fidelidade. E para não nos esquecermos, aconselha-nos a deixar bem visíveis em nosso pescoço onde todos possam ver e reforçadas em nosso coração, onde só Deus pode entrar e sondar. Para que não sejamos alvos do inimigo precisamos estar protegidos das ciladas deste mundo. Assim, se tivermos amparados pela benignidade e fidelidade estamos resguardados, pois essas virtudes são frutos do Espírito Santo. Quando somos benignos e fiéis, temos a certeza que o Espírito Santo de Deus está em nós e isso é a melhor proteção.



"Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio." Gálatas 5:22. 

domingo, 11 de setembro de 2016

Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Provérbios 2:21


Salomão apresenta a integridade como condição para experimentar, ainda nesta vida, parte das bênçãos prometidas por Deus. Ser íntegro significa ser inteiro. Não estar dividido. Não é possível agradar a Deus se estamos divididos entre Ele e o mundo, pois essa divisão denuncia ausência de compromisso e gera desintegração. A integridade é resultado de uma vida sábia, de uma convicção de estar no caminho certo, e único, pois andar por dois caminhos ao mesmo tempo é tolice. A inconstância e a ambiguidade são destrutivas e fazem com que percamos o foco. Quem perde o foco, peca porque destrói os valores e os princípios. E sem princípios não existe vida. São eles que sustentam a existência. O sábio Salomão nos mostra que devemos andar em retidão sendo inteiros. E isso pressupõe uma vida coerente, uma harmonia entre o discurso e a ação. Quem não tem Deus não pode ser completo, portanto, herdarão a terra aqueles que têm o Senhor. Integridade é viver pela fé.


Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. Hebreus 11:6

sábado, 10 de setembro de 2016

O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução. Provérbios 1:7


O livro de Provérbios tem o propósito de levar os leitores o conhecimento necessário para que entendam os adágios, as parábolas, os enigmas e as proposições que são empregadas nos livros da Bíblia. Por isso, Salomão explica logo no início os seus propósitos: “Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência. Para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a equidade; Para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso; O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos; Para entender os provérbios e sua interpretação; as palavras dos sábios e as suas proposições”. (Provérbios 1:2-6) E não é por acaso que a primeira proposição do pregador, logo após essa introdução é uma orientação sobre a importância do temor do Senhor. Esse temor sobre o qual nos fala Salomão não é um sentimento de medo, pavor, ou receio, mas refere-se a um conhecimento, um saber revelado por Deus que demanda compreensão por parte do homem. Quem ouve a Palavra de Deus entenderá e achará o conhecimento, que procede do Senhor. Temer a Deus é aceitar o sacrifício de Jesus, pois ele é a Palavra, o Verbo de Deus encarnado, conforme nos mostra o apóstolo em Colossenses 2:2-3  


“Para que os seus corações sejam consolados, e estejam unidos em amor, e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus e Pai, e de Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” 

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor. Salmos 150:6


O livro de Salmos inicia com a declaração de felicidade daquele que, antes de tudo tem o seu prazer na meditação da Palavra de Deus e não anda segundo o conselho dos ímpios. É o salmo considerado a carteira de identidade do cristão verdadeiro. E é interessante observarmos que esse livro com 150 salmos termina com uma exortação para que toda a criação louve ao Senhor. E essa exortação é reiterada nos seis versículos que compõem o último Salmo. Louvar significa agradecer a Deus pelas suas muitas dádivas. Por isso a Bíblia nos ensina a louvar a Deus pelo Seu perdão e pelas Suas misericórdias. Fomos criados para louvar a Deus e se observarmos a natureza e tudo o que tem o sopro de Deus veremos que é como uma sinfonia louvando a Deus pelo que Ele é e faz por nós. O louvor é uma oferta espiritual. A Bíblia diz em Hebreus 13:15


“Por Ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o Seu nome.”

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

O Senhor se agrada dos que o temem e dos que esperam na sua misericórdia. Salmos 147:11


São as nossas atitudes e não os nossos discursos que revelam como está o nosso relacionamento com Deus, e qual papel Ele tem em nossa vida. Muitos afirmam que amam e que confiam em Deus, contudo agem conforme seus desejos e ignoram a Palavra do Senhor. Mas, por outro lado, a Bíblia nos mostra grandes exemplos de homens que escolheram temer e esperar em Deus. Abraão é um desses homens, dentre outros que não apenas acreditou, mas confiou em Deus, e entregou seu futuro nas mãos de Deus. Ele saiu de sua zona de conforto no seio de sua parentela e seguiu para um lugar incerto atendendo ao chamado de Deus. E fez mais: estava disposto a sacrificar aquele que lhe foi dado por promessa porque confiava em Deus. O salmista nos leva a refletir sobre a intrínseca relação que há entre temer e esperar, e sobre a diferença entre acreditar e confiar, quando se trata de estabelecer as bases de nosso relacionamento com Deus. Temer a Deus significa ter uma reverência por Ele tão grande, ao ponto de influenciar a nossa forma de viver. Temer a Deus é muito mais do que respeitá-Lo. É dar a Ele a devida reverência, submetendo-nos a Sua soberania. Muitos dizem acreditar em Deus, mas por falta de temor, não confiam Nele, pois não entregam seus problemas e descansam no Senhor. Esperar em Deus exige entrega e confiança. Mas o apóstolo Paulo nos mostra que temos a promessa de que nada pode nos separar do amor de Deus (Romanos 8:38-39). E nos estimula a esperar


Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Romanos 10:11

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Não confieis em príncipes, nem em filho de homem, em quem não há salvação. Salmos 146:3


O grande erro da humanidade, desde o princípio, tem sido o de colocar a sua confiança nos homens. Quando damos a um homem ou mulher o lugar que só Deus deve ter, a consequência inevitável é a desilusão. Por melhor e mais exemplar que seja a pessoa a quem admiramos, quer no plano pessoal ou social, sabemos que todos têm pés de barro. Por mais capacitado que seja uma pessoa para nos representar e nos governar, a nossa confiança nela não pode ser colocada acima da confiança em Deus. Não foi por acaso que o profeta trouce a Palavra de Deus "Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!" (Jr 17:5). O salmista compreendeu essa dimensão e nos ensina a manter a nossa confiança Naquele que tudo pode, acima da confiança que temos nos outros. Entendendo que a vida em sociedade se baseia numa relação de confiança mútua. O problema está em confiarmos que o homem pode fazer o que só Deus pode. O mal está em tirarmos o Senhor do trono e colocamos nele o homem. Precisamos agir como nos ensina Paulo, cientes de que fomos capacitados por Deus, mas é Dele a suprema força


Tal é a confiança que temos diante de Deus, por meio de Cristo. Não que possamos reivindicar qualquer coisa com base em nossos próprios méritos, mas a nossa capacidade vem de Deus. Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica.  2 Coríntios 3:4-6

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Ele cumprirá o desejo dos que o temem; ouvirá o seu clamor, e os salvará. Salmos 145:19


O Senhor está perto e atento a todos os que o invocam. Assim como um pai que se desdobra para cumprir os desejos de seus filhos, Deus tem prazer em cumprir o desejo do seu coração Seus filhos. O salmista nos lembra desse privilégio que têm os filhos diante do Pai. Todavia, é preciso que nos lembremos de que todos são criaturas de Deus, mas filhos são somente aqueles que O temem e que escolhem viver como tal. Nessa condição, temos as prerrogativas de filhos e assim podemos chamar por Ele de onde estivermos, em qualquer hora, certos de que Ele está de olhos e ouvidos atentos, prontos para ouvir o nosso clamor e virá em nosso socorro. Muitas vezes duvidamos disso, porque acontece de pedirmos ao algo que ainda não recebemos ou que não nos é entregue conforme pedimos. Contudo, a afirmação do salmista é que segura de que Deus sempre nos surpreende com algo melhor, em um tempo que não pode medido ou calculado pela nossa vontade. Deus cuida de nós como um pai cuida do seu filho e por isso Jesus nos ensina em Mateus 7: 9-11


"Ou qual dentre vós é o homem que, se porventura o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?" 

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus. O teu Espírito é bom; guie-me por terra plana. Salmos 143:10


Sabemos que fazer a vontade de Deus não é uma tarefa simples, pois temos a cada instante que passar por cima dos nossos desejos e vontades. Viver a vontade de Deus é ter consciência de que todos os dias teremos que lutar contra o que irá tentar nos corromper e nos tirar da presença de Deus. E muitas vezes temos que lutar contra algo muito sedutor, ou com aparência de bem. O salmista nos dá um grande exemplo de como devemos agir para viver segundo a Palavra de Deus e fugir das inclinações da carne, por isso Davi pediu para que o Senhor o ensinasse a viver a vontade Dele. Saber que a vontade de Deus é o melhor para nós faz-nos submissos a ela. E quando nos esvaziamos de nossos próprios desejos agradamos a Deus, assim como Davi, cujo exemplo de vida nos mostra que era o homem segundo o coração de Deus, não por ser perfeito, mas porque sabia como agradar ao Pai. Ainda que errasse, ele reconhecia o erro e humilhando-se, pedia perdão e se voltava a fazer as vontades de Deus. Muitos são os que conhecem e repetem diariamente a oração do Pai Nosso, mas poucos fazem o que ela ensina. Orar repetitivamente e não agir segundo a sua mensagem não agrada a Deus. Jesus nos ensinou a fazer a vontade do Pai e nos deu a Palavra de ordem em Mateus 6:10


Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. 

domingo, 4 de setembro de 2016

Sei que o Senhor sustentará a causa do oprimido, e o direito do necessitado. Salmos 140:12


Quando vemos a injustiça no mundo e o mal prevalecendo e nos sentimos impotentes para fazer a diferença que às vezes pensamos em fazer tal qual, em agir como a maioria, mas a Palavra de Deus nos mostra que é melhor sofrer o dano, o prejuízo e a injustiça do que praticá-la. O salmista nos mostra que Deus defenderá sempre o justo. E se temos Jesus como nosso Advogado deste, nossa causa está ganha, pois não há Advogado melhor do que Ele. Deus. Deus sabe de todas as coisas e sabe também a melhor maneira de retribuir e de defender a justiça é a verdade. Não estratégia, ou argumento falacioso que vença a verdade. O que parece vencer usando artimanhas somente adia a sua condenação, pois a justiça de Deus é certa e se não vem no nosso tempo ou a nossa maneira, com certeza será feita quando menos esperamos. Deus trabalha da melhor forma para honrar os que Nele confiam. A justiça de Deus não falha e é perfeita. Não devemos fazer ou desejar o mal para aqueles que agem impiamente, porque esse mal retornará para nós. Contudo, devemos confiar e esperar a justiça do Senhor, seguindo o que nos ensina Paulo em I Tessalonicenses 5:15


“Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos”. 

sábado, 3 de setembro de 2016

Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Salmos 139:2


Essa declaração do salmista nos faz refletir sobre uma das estratégias do inimigo em nossas vidas quando tenta nos convencer de que ele tem acesso aos seus pensamentos e de que assim como Deus é onisciente. Mas é importante sabermos que o único que possui esse poder é Deus. O inimigo, por mais que queira, não sabe o que se passa em nossa mente e tampouco conhece o nosso futuro. Na verdade, ele simula conhecer o futuro e nos faz acreditar que sabe o que pensamos. O que faz é uma sugestão e se reagimos como se ele tivesse essa capacidade de ler ou de prever nosso futuro, damos a brecha para que ele atue. Aqueles que não exercem a fé que agrada a Deus são, em potencial, um alvo para a investida do inimigo, pois em vez de acreditarem e confiarem firmemente na Palavra de Deus se deixam cegar pela dúvida e creem apenas naquilo que veem. Agindo de forma racional esperam ver para crer, enquanto a Bíblia nos ensina a crer para ver. Dessa forma, satanás usa a brecha do ceticismo para plantar mentiras na mente daquele que ignora os princípios da fé. Assim, sugerindo dúvidas sobre a existência de Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo e instiga o cético a buscar provas científicas e concretas da existência de Deus e miniminiza o Sacrífico de Jesus e o Plano de Salvação. Não podemos controlar os pensamentos sugeridos pelo inimigo, mas podemos  evitar que eles nos conduzam a caminhos que nos separam de Deus. Por isso, ler a Palavra para reavivar nossa fé e buscar sempre a comunhão com aqueles que partilham dela é um antídoto contra a mentira de satanás, pois como afirmou Jesus em João 7:38


"Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre."

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Andando eu no meio da angústia, tu me reviverás; estenderás a tua mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salvará. Salmos 138:7


O salmista demonstra a sua confiança de que o Senhor não desampara aqueles que Nele esperam. Ele tem certeza de que, mesmo passando por lutas, mesmo enfrentando o vale da sombra da morte, Deus jamais deixa de estender Sua mão e acolher àquele que por Ele clama. Assim como o salmista devemos ter essa fé inabalável, certos de que nesta vida breve não estamos livres de angústias e de sofrimentos, mas podemos nos ancorar nas palavras de Jesus de que estaria conosco até a consumação dos séculos, mesmo enfrentando as aflições deste mundo. Sabemos que no mundo teremos inimigos de toda ordem, inimigos visíveis e invisíveis, mas a mão do Senhor está sobre nós para nos proteger com escudo e sobre aqueles que nos afrontam para afastá-los. A mão poderosa do Senhor é a nossa força e sabendo que a Sua destra nos livra, podemos revigorar nosso ânimo e nos mantermos de pé diante das tempestades que nos assolam. É sob essa proteção que nos sustentamos e nos apoiamos, seguros do que afirma Paulo em Romanos 8:31


“Se Deus é por nós, quem poderá ser contra?”

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Louvai ao Deus dos céus; porque a sua benignidade dura para sempre. Salmos 136:26


O salmista escreve o Salmo 136 para nos lembrar de que a bondade do Senhor dura para sempre e que não muda com o tempo. Benignidade é a qualidade de quem tem o prazer de fazer o bem. Ela é expressa por mostrar interesse sincero no bem-estar de outros e é demonstrada por meio de uma atitude solidária e atenta ao próximo e também, mas não só, por palavras que mostram consideração e cuidado. Ser benigno significa querer e fazer o bem, em vez de assumir uma postura neutra, negligente, egoísta ou maldosa. A pessoa benigna é amistosa, branda, compassiva e atenciosa. Tem uma atitude generosa e solidária, prestativa e atenciosa para com os outros. O salmista reconhece essa característica própria do Senhor e na qual devemos nos espelhar. O apóstolo Paulo nos lembra de que a benignidade deve fazer parte da vida do verdadeiro cristão e por isso nos exorta em Colossenses 3:12:


“Revesti-vos das ternas afeições de compaixão, benignidade, humildade mental, brandura e longanimidade.” 

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Salmos 133:1


O salmista se refere ao povo de Israel, divididos em suas tribos e espalhados entre Hermon e Sião, mas vivendo em união. Davi exorta o povo a permanecer unidos e obedientes à vontade de Deus. A nação dividida em tribos poderia se dispersar e perder o rumo, pois estava sujeita a muitas ameaças. Nos dias atuais, nós também, como povo de Deus, precisamos nos manter unidos e sob a regência de um único Deus.
A Palavra de Deus nos incentiva a congregar e a viver em comunhão, presentes e participantes dos cultos a Deus, pois quando não damos valor ao culto a Deus, não O valorizamos e O glorificamos. É no culto que Deus nos fala e abençoa. Não podemos, a pretexto das correrias da vida, negligenciar o culto a Deus e a comunhão com os irmãos, pois é na comunhão que estreitamos os laços e solidificamos nossa fé. O convite do salmista nos remete aos ensinamentos de Lucas que nos mostra a chave do crescimento pessoal e da Igreja.


E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Atos 2:42

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Salmos 127:1


Sem Deus nada somos, essa é a grande mensagem que nos passa o salmista, quando reconhece e nos faz refletir que sem Deus nada podemos fazer, e sem Sua Presença não podemos viver dignamente. É Deus quem nos dá a vitória e por mais que contemos com recursos materiais e tecnológicos, somente Ele pode edificar solidamente a nossa casa. Entendendo que casa não é somente a edificação física, mas também a nossa vida material e espiritual. Sem Deus, em vão edificamos qualquer projeto; sem Deus, em vão vigia a sentinela; sem Deus e a Sua grande graça e misericórdia, inútil nos será trabalhar e ajuntar o fruto de nosso trabalho, pois nada disso se aproveitará. No mundo, vemos pessoas se digladiando e se destruindo para conquistarem poder, riquezas e posição, preocupados em ter e obter cada vez mais, preocupados com segurança, status e títulos e muitas vezes os seus planos são frustrados, pois seguem ignorando que Deus está no controle de tudo. Deus nos criou para sonhar e para realizar, mas não podemos nos esquecer de que por mais que planejemos, está nas mãos do Todo-Poderoso o governo de nossa vida. E quando nos deixamos dirigir pelo Espírito de Deus, compreendemos que do Senhor depende todas as coisas e que Deus pode nos dar vitória independentemente das circunstâncias. O salmista nos faz refletir sobre o quanto é bem aventurado aquele que sabe que Deus é o Senhor e tem o controle de tudo, e por entendimento atende ao que exorta o apóstolo Paulo em Filipenses 4:6


Persuado eu Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança. Salmos 119:116


Nesta vida é comum ficarmos tristes, desanimados, desiludidos da vida, fracos e sem ânimo. Isso acontece, principalmente, porque tiramos nosso foco de Deus e passamos a confiar nas nossas ações e ainda que façamos tudo de acordo com os princípios legais e morais é natural nos sentirmos assim, quando não olhamos mais para as promessas do Senhor e achamos que as coisas devem acontecer no nosso tempo e ao nosso modo. Diferentemente de Deus, o ser humano não consegue enxergar além das aparências e a uma curta distância, por isso carece da visão do Senhor para ajustar o foco de sua visão e conseguimos enxergar além das circunstâncias. O salmista clama a Deus para sustenta-lo nos momentos de incertezas, quando tudo parece estar contra. Quando nos firmamos nas promessas de Deus, sabendo que Ele é fiel e que não muda, reforçamos a nossa esperança e renovamos o nosso ânimo, para passar por tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência. Assim, não estaremos livres das lutas, mas sabemos que somos sustentados para suportá-las. Jesus não disse que não passaríamos por tribulações; Ele não disse que as coisas seriam sempre um mar de rosas, ao contrário, mas nos assegurou em João 16:33:


“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

domingo, 28 de agosto de 2016

Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra. Salmos 119:101


Davi nos ensina que, ao nos depararmos com o mal, o desvio é a melhor opção, pois se acreditarmos que somos capazes de conviver com ele e com nossas forças podemos enfrentá-lo, corremos o risco de sermos cooptados por ele. Assim, devemos nos desviar de tudo o que, mesmo com aparência de bem, nos ameace a paz com Deus ou a nossa busca de santidade, ou possa nos causar algum dano espiritual. Isso não significa acovardar-nos diante dos problemas, mas ter sabedoria para discernir o que deve ser seguido e o que precisa ser evitado. Davi nos mostra que não há como guardar a Palavra de Deus, sem nos desvencilhar de toda impureza, de tudo o que possa nos contaminar e nos tirar a visão das coisas de Deus. E o salmista nos mostra com seu exemplo que devemos nos desviar de todo caminho mau e não somente de algum caminho que nos pareça mau. Há caminhos que nos parecem bons, mas se revelam armadilhas para os nossos pés, quando não buscamos em Deus a sabedoria para o discernimento. Nosso referencial sempre deve ser a Palavra de Deus! Davi se desviava do mal não apenas por medo das consequências, mas para se aproximar de Deus e essa deve ser a nossa motivação. Assim, devemos vigiar o tempo todo e evitar tudo o que venha a nos desviar do caminho, até mesmo as amizades, leituras, diversões, filmes e qualquer situação do dia a dia que contrarie a Palavra de Deus, para não darmos lugar às inclinações da carne e não andarmos pelo que os outros dizem ser bom. É isso que Paulo ensinou Timóteo a fazer, quando disse (II Timóteo 2:22): “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor”. Por isso escreveu aos Tessalonicenses

Abstende-vos de toda a aparência do mal. 1 Tessalonicenses 5:22

sábado, 27 de agosto de 2016

É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem. Salmos 118:8


Curiosamente, esse versículo é considerado o texto central da Bíblia. Se considerarmos que a Bíblia Sagrada é composta de 66 livros, (39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento), ao todo, ela tem 1.189 capítulos. O menor capítulo é o Salmo 117 e o maior é o Salmo 119, entre eles está o Salmo 118, o capítulo central da Bíblia. Não é por acaso que ele fica entre o menor e o maior, porque os 1.189 capítulos, quando divididos por dois, dão-nos 594. Assim, temos 594 capítulos antecedentes ao Salmo 118, e 594 capítulos posteriores. Se somarmos esse número teremos 1188, que pode ser representado por 118:8. Há quem afirme que o centro está no versículo 15 deste salmo porque o capítulo 118 tem 29 versículos, logo, o esse seria o versículo central do capítulo 118 é: “Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação; a destra do Senhor faz proezas.” Mas o importante disso é a mensagem que esses versículos trazem: a nossa confiança deve estar no Senhor. E quem confia no Senhor age segundo a Sua vontade e a consequência disso é júbilo e salvação. A lição central é que não devemos confiar nas coisas que se veem, mas descansarmos em  Deus. Por isso Pedro ratifica essa mensagem e nos ensina a confiar em Jesus


Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. (1 Pedro 5:7)